Auxílio Brasil – Fila de espera do benefício bate novo recorde

Publicidade

O Programa Auxílio Brasil teve seu lançamento em 2021, e na época abrangia apenas famílias beneficiadas pelo antigo Bolsa Família. Nos meses seguintes, o auxílio que atendia cerca de 14 milhões de famílias, passou para mais de 18 milhões de pessoas socialmente vulneráveis.

Este programa vem cuidando de cada vez mais famílias, já que a situação de algumas piorou nos últimos dois anos, por causa da pandemia. Se você quer fazer parte do Auxílio Brasil ou já o utiliza, é importante estar por dentro das atualizações.

Publicidade

Por isso, no artigo de hoje, vamos te mostrar o quanto o programa vem crescendo. Porém esse crescimento deve ser monitorado de perto pelo governo, pois o ritmo está muito acelerado e muitas pessoas podem não ter informações importantes. Veja mais a seguir.

Auxílio Brasil
Auxílio Brasil (imagem retirada do Google)

Crescimento acelerado do Auxílio Brasil

Nos últimos meses, a fila de espera do programa Auxílio Brasil vem crescendo cada vez mais. Esse crescimento está sendo observado desde março. Atualmente, metade dos municípios do país tem registros de famílias em situação de pobreza ou pobreza extrema, mas que ainda não recebem. 

A falta de verba é o principal motivo para isso. Segundo o Ministério da Cidadania, o Governo Federal já sabe que existe uma fila de espera do Auxílio Brasil em 2.525 cidades, do total de cerca de 5.500 municípios.

Isso significa que 764 mil famílias cujo cadastro foi aprovado ainda precisam esperar que o orçamento do programa aumente ou que algum beneficiário seja excluído para terem uma vaga. Só dessa forma é que é possível receber a mensalidade de R$400.

Principais problemas do programa

O crescimento e a fila do Auxílio Brasil mostram a alta na necessidade de assistência social no período atual. O desemprego e a inflação são situações que deixam tudo mais grave na economia, ultrapassando a capacidade do programa. 

Publicidade

Após seu lançamento, ainda levou um bom tempo para que o governo conseguisse cumprir o que foi informado. Por exemplo, o valor referente a mensalidade, que foi anunciada a R$400, porém no início só pagava a média de R$217,18. 

O valor de R$400 só foi entregue e fixado em Maio. Uma pesquisa do Datafolha divulgada recentemente, mostrou que a substituição do Bolsa Família pelo Auxílio Brasil ainda não proporcionou a porcentagem eleitoral que Bolsonaro desejava. 

Entre os que recebem o benefício, o presidente atual teve apenas 20% das intenções de voto. Já o ex-presidente e pré-candidato, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a 59% das intenções do mesmo público.

Como se inscrever no Auxílio Brasil?

Se você tem interesse no programa, é importante saber que primeiro é necessário se cadastrar no Cadastro Único, para assim ter o cadastro aprovado no Auxilio Brasil. O CadÚnico é o local que reúne informações importantes sobre as famílias brasileiras.

Escolha um representante na sua família e vá até um ponto de atendimento do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da sua cidade com os documentos de identificação de cada membro e outros que forem solicitados.

As informações que você fornecer devem estar atualizadas e só assim você pode fazer parte do programa, pois não é possível se inscrever sozinho. Quem seleciona as famílias é o Ministério da Cidadania de acordo com os dados cedidos pelas prefeituras no CadÚnico. 

Considerações sobre o Auxilio Brasil

O programa auxílio Brasil está ajudando milhares de pessoas, porém o governo deve tomar decisões mais rápidas para poder auxiliar as famílias que ainda faltam completamente. 

Para saber mais acesse o site do programa ou se dirija até o CRAS mais próximo. Se gostou deste post e quer ler outros como ele, acesse a categoria de Aplicativos do site. 

Aqui você encontra dicas para se manter informado nas eleições, aprende a plantar alface, aplicativo para assistir esportes, comprar sapatos, encontrar um aluguel mais barato e muito mais. Assim você se mantém atualizado e conhece os melhores aplicativos para seu celular.

Publicidade